Juízo Final (1968)

Frescos no Palácio da Justiça de Castelo Branco
(Dimensões: 3,20 m x 18,40 m)

VerDescrição na biografia

x


Descrição:

O tema tratado é o Juízo Final, com a figura central do Supremo Juiz, e em sua volta, o movimento provocado pelas suas sanções. Nas zonas laterais até aos extremos, são representados, simbolicamente, os sete pecados mortais e as sete virtudes que se lhes opõem, cada uma junto do pecado correspondente (contra a soberba, a humildade; contra a avareza, a liberalidade; contra a inveja, a caridade; contra a preguiça, a diligência; contra a ira, a paciência; contra a gula, a temperança; contra a luxúria, a castidade). As cores gerais atribuídas aos pecados e as cores gerais atribuídas às virtudes ajudam à leitura do movimento central e à destrinça entre os premiados e os castigados.


O “Juízo Final” é um tema sempre de respeito, por si só e pelo peso da tradição de grandes obras-primas da arte religiosa. No caso de se figurar numa Sala de audiências, o seu condicionalismo altera-se, pois a sua incidência deixa de ser exclusivamente religiosa para se estender também à vida civil.

No Tribunal de Castelo Branco, o formato da parede, com uma largura de 21 metros e uma altura de 3,5, contrasta muito com os formatos tradicionais usados com este tema e não facilita a sua resolução, que foi procurada com o seguinte partido.

As duas portas que se recortam na parede dividem esta em três zonas, que não se separam rigidamente.

A zona central, a mais nobre e também a de maior iluminação natural, foi ocupada pela figuração do “Juízo Final”, concebida segundo alguns moldes da tradição.

O Juiz Supremo, ao centro e em cima, olhando para nós, separa os justos dos culpados, cujas almas um anjo pesa. A Verdade sai da boca do Salvador, recta e límpida como a espada que se representa ao seu nível. A destra, rodeada das sete estrelas que significam o domínio do Universo, aponta com decisão o caminho aos justos. A esquerda, mais abandonada, deixa aos pecadores o seu destino.

Aos lados do Juiz estende-se o Paraíso, para onde os Anjos da Redenção conduzem os Eleitos, ascendendo à direita do Senhor. Do lado oposto o Anjo justiceiro aponta aos pecadores sem perdão os lugares do castigo.

Nas paredes laterais figuram-se, com os seus atributos, que se supõem de fácil compreensão, os sete Pecados Capitais (que não olham para o Juiz), envolvidos em cores sombrias e quentes; sobre eles, em correspondência, as Virtudes que os vencem (olhando para o Juiz), imersas em atmosfera mais clara e serena.

Os Pecados e as Virtudes figuram-se, da esquerda para a direita, sucessivamente:

Na parede da esquerda: a Soberba e a Humildade; a Avareza e a Liberalidade; a Inveja e a Caridade.

Na parede da direita: a Preguiça e a Diligência, a Ira e a Paciência; a Gula e a Temperança; a Luxúria e a Castidade.

As catorze figuras caracterizam-se pelas suas atitudes e expressões, e pela seguinte simbologia.

A Soberba, o maior dos pecados, de onde os outros derivam, representa-se por figura maior, e cheio de vãos ouropéis, sobre uma base instável e rodeado de campainhas, trombetas e castelos no ar...

A Humildade é uma figura pobre; só tem uma flor, e nela se enleva.

A Avareza agarra e aperta contra o peito alguns valores materiais; só com eles se compraz e com eles se procura esconder.

A Liberalidade oferece o que tem, de peito franco e mãos abertas.

A Inveja remorde-se, espiando o rico avaro.

A Caridade, a maior das Virtudes, mãe de todas as outras, a única Virtude Coroada, assim se representa, com grandes asas acolhedoras e o coração nas mãos, ardendo de amor pelo próximo.

A Preguiça abandona o trabalho e goza o nada fazer.

A Diligência fia, com a roca e o fuso; é o trabalho constante.

A Ira cresce para nós ameaçadora, com um pau na mão.

A Paciência suporta, sorrindo, a adversidade nas suas mãos, a palma do martírio.

A Gula é um comilão, obeso e voraz.

A Temperança deita água no fogo, pera o diminuir.

(Falta a descrição da Luxúria e da Castidade)

Além dos atributos, todas as catorze figuras são identificadas por dísticos com os seus nomes.

Jaime Martins Barata



- o O o -



A completar - Ir para a ↖ antiga versão (para desktop)


- o O o -



Tamanho do texto
Modo  claro / escuro 
Tamanho dos botões      


_ _ _